Resolvendo Problemas na Conexão

5 03 2008

A algum tempo atrás me deparei com um problema em minha casa. A estrutura era um roteador adsl, ligado a um hub e também a um roteador wireless (o modelo é antigo, por isso não é capaz de rotear também a conexão adsl).

Porém em diversas situações, quando eu estava navegando a conexão aparentava cair, as páginas web não mais respondendo as requisições. Foi então que notei que os downloads não paravam, nem programas P2P, assim como o messenger.

Baseado nestes fatos pude constatar que o problema estava na resolução dos nomes pelo DNS, assim parando a navegação, mas não os demais serviços.

Com uma rápida busca no Google pude achar um serviço bem bacana, sério e gratuito capaz de resolver meu problema, o OpenDNS.

Além de fornecer dois endereços DNS de graça, o site ainda conta com vários tutorias de como aplicá-los em diversos sistemas operacionais e em muitos modelos de roteadores de conexão.

Basta adicionar os endereços 208.67.222.222 e 208.67.220.220 nos lugares destinados para os servidores DNS primário e secundário e pronto, todos os problemas na conexão foram solucionados. Qualquer dúvida em como fazer isso, acesse os tutoriais no site oficial.

Talvez você se pergunte porque alguém forneceria um serviço de qualidade de graça? Simples, quando você digita alguma URL inválida em seu navegador, o mesmo vai mostrar uma página de resultados do OpenDNS, que contém alguns links patrocinados, assim como fazem os gigantes Google e Yahoo.

É uma iniciativa de excelente qualidade, gratuita e completamente livre de spywares, vírus ou qualquer malware em geral. Nem precisa instalar nada no PC, apenas configurar e utilizar! Recomendado!





Driver da Rede Wireless Para Notebook Nova HGL31

18 02 2008

Como muita gente me pediu o driver da rede wireless para o notebook Nova HGL31, resolvi hospedá-lo e disponibilizar à vocês. Basta descompactar e executar o arquivo que tudo funcionará 100%.

Este portátil tem como único inconveniente o fato do driver para wireless encontrado no cd que vem com o notebook não funcionar.

Leia a resenha completa do Notebook Nova HGL31

Clique AQUI para baixar o driver





Análise Microsoft Windows Server 2008

12 02 2008

Como vocês já devem estar sabendo a gigante Microsoft anunciou lançar oficialmente o Microsoft Windows 2008 no final de Fevereiro de 2008, como tenho muito interesse por novas tecnologias, me inscrevi no site da Microsoft para poder testar o produto, e abaixo contarei a vocês como se saiu esta nova versão do Windows.

Ambiente de Teste:

  • Processador: Intel Pentium IV 1.60 GHz (northwood);
  • Placa Mãe: Intel D850MD;
  • Bios: MV85010a V.2.30;
  • Memória: 1GB (4x RIMM RAMBUS 256Mb/16 @ 400Mhz)
  • Placa de Vídeo: Nvidia Riva TNT2 M64 32MB AGP 4x;
  • Placa de Som: Intel 8180 AC’97 Audio Controler;
  • Placa de Rede: Realtek 8139 10/100;
  • Hard Disk: Samsung SP0822N 80GB (ATA100 2MB cache);
  • Sistema Operacional: Microsoft Windows Server 2008 Enterprise Build 6001 32Bits (BETA);
  • Service Pack: 1 V.275;
  • Idioma: Inglês.

 

Microsoft Windows Server 2008 Enterprise.

Como vocês podem ter notado, não utilizei um super-computador para realizar os testes, na verdade isto foi proposital para que eu pudesse avaliar como o sistema se sairia em maquinas mais antigas.

Eu nunca fui um grande fã dos produtos da Microsoft, mais desta vez acredito que eles acertaram em cheio o alvo, acredito que nunca utilizei um produto da Microsoft tão estável e veloz, e o que mais me surpreende é esta ser uma versão teste.

Eu estou utilizando este sistema a pouco mais de 38 dias, e houve apenas um travamento, o qual não foi nem por problemas no Windows, eu queria saber como ele se comportaria com alguns modes no visual dele, coisa que odeio, acredito que não haja nada pior para acabar com a performance e a estabilidade dos sistemas do que modes, pois bem resolvi instalar o WindowBlind 5.1, como eu suspeitava após instalar e aplicar alguns temas, o sistema ficou lento e travando o explorer, mais bastou desinstalar o mesmo, e tudo voltou a ficar como era antes, rápido e estável.

O novo sistema operacional da Microsoft, demonstrou-se absurdamente mais rápido que o Windows Vista Ultimate, isto porque a maquina que roda o Vista é muito superior a qual eu fiz os testes nos Microsoft Windows 2008.

O que mais me impressionou nesta nova versão, é que quando você termina de instalá-lo, o único programa que vem com o mesmo é o Internet Explorer 7.0, qualquer outro programa que você queira instalar você terá que fazê-lo depois da instalação acessando a opção ” Add Features “, por esta opção você consegue adicionar a ele o Windows Media Player 11, por exemplo, e vários programas para administração de servidores.

Nas opções de monitoramento do sistema ele vem com um completíssimo sistema chamado “Reliability and Performance”, que conta com vários gráficos e medidores dando informações de uso da cpu, hard disk (leitura e escrita), memória e rede.

Reliability and Performance

 

Painel Reliability and Performance do Microsoft Windows 2008.

Outra mudança muito boa que o Microsoft Windows 2008 apresenta, é que nas suas janelas, à baixo da barra de endereço, ele conta com alguns botões de fácil acesso, que alteram suas funções de acordo com o local no qual você está, por exemplo, quando você está com uma pasta selecionada, um destes botões já passa a ter a função “Burn”, assim que você clicka neste botão ele já da inicio ao processo de gravação de cd ou dvd, um outra pequena, mais muito importante mudança, em relação aos outros Windows, é que quando você pressiona “F2” para renomear o arquivo, ele seleciona automaticamente o nome, preservando a extensão, me irritava muito nas outras versões do Windows, quando ia renomear os arquivos e sem querer alterava também a extensão, agora com o Windows 2008, você somente fará isto se você quiser.

Agora o nosso velho e conhecido, Paint, ganhou cara nova, mais funcionalidades que é bom, nada, continua o mesmo programa limitado.

Bom pessoal, para finalizar deixo bem claro o seguinte, não testei ainda o Microsoft Windows 2008 como servidor de uma rede, pois mesmo o sistema se demonstrando tão estável como está, ainda acho muito cedo para arriscar meu emprego pelo mesmo, a utilização que fiz do mesmo foi como estação de trabalhos avançados e desenvolvimento de softwares, nos 38 dias que o utilizei, a maquina que estava com o mesmo passou a ser meu CPU de trabalho, todos os dias das 8 da manhã as 18 horas eu o utilizava, pretendo logo mais, estar implementando um servidor de rede teste, com o mesmo e assim que o fizer, reportarei a vocês, espero que tenha sido útil.

Links para informações e downloads do Microsoft  Windows 2008:





Análise do Notebook Nova HGL31

29 01 2008

Notebook NovaSempre torci o nariz para os computadores nacionais, marcas como Positivo, Metron, CCE etc.

Não foi apenas um preconceito, mas sim minha experiência de muitos anos atuando como técnico em informática inclui vários péssimos momentos com CPUs montados por estas empresas.

No passado os micros nacionais eram um amontoado de peças e componentes de baixa qualidade, buscando claramente um preço mais competitivo, mas o resultado era tão ruim que ninguém queria saber dessas máquinas.

Porém a algum tempo pude notar uma mudança nesse cenário, os Positivo atualmente vem com placas mãe Gigabyte, que pode não ser a top de linha, mas também não é uma PCChips da vida. Em alguns casos já vi até memórias Kingston vindo de fábrica em alguma máquina genérica dessas.

Agora para notebooks não era apenas um pé atrás, mas sim os dois! Afinal, portáteis precisam ser muito melhor projetados e planejados, senão temos como resultado computadores que aquecem demais e tem uma vida útil bastante reduzida em função disso.

Recentemente a empresa onde trabalho solicitou um notebook de baixo custo. Lá fui eu encarar os fabricantes nacionais mais uma vez, desta vez em um campo inusitado.

Foi quando encontrei uma oferta aparentemente atraente no Submarino, um laptop com processador Celeron M de 1.86 Ghz, com 1GB Ram por R$ 1399,00, em 12x sem juros no cartão de crédito, como é de praxe da loja. Resolvi encarar o desafio.

Configuração:

  • Processador: Intel Celeron M440 (1.86HZ)
  • Barramento: 533 Mhz
  • Memória RAM: 1024 MB DDRII
  • HD: 80GB 7200 RPM IDE ou SATA
  • Drives: DVD-RW
  • Tela: LCD 14,1″
  • Modem: Placa Modem Velocidade 56 Kbps
  • Rede: On-Board – 10/100/1000Mb/s
  • Som: Placa de som onboard
  • Wireless: Wireless LAN
  • Vídeo: Placa de vídeo onboard integrada ao chipset 945GM
  • Teclado: Padrão ABNT 2 – Acentuação em Português
  • Mouse: Touchpad com 2 botões
  • Leitor de cartões de memória: Card Reader 3 em 1 (SD/MMC/MS)
  • Sistema Operacional: Linux
  • Conexões: USB V2.0 x 3, RGB; porta VGA, 15pinos,
  • Saída S-Video, Microfone, Saída para Headphone, Entrada DC, Porta RJ-11 de modem 56Kbps V.90/92, Porta RJ-45, Trava Kensington, Cartão Express, PCMCIA Tipo II, Chave de comunicaçao, Microfone Interno

O sistema operacional que vem de fábrica é um tal de Fênix Linux, parece baseado no Kubuntu, não posso dizer ao certo, afinal tive que retirá-lo rapidamente para instalar o Windows XP.

A formatação ocorreu sem maiores percalços, exceto pelo driver da rede Wireless que não funcionou na versão disponibilizada com os CDs que acompanharam o equipamento, mas nada que o DriverGuide não resolvesse em alguns minutos.

Mexendo aqui e ali, pude reparar uma coisa, não é que o notebook é bom? A tela de 14.1 widescreen é bem nítida e confortável, a base abaixo do teclado não esquenta, o touchpad é bastante sensível ao movimento e a resposta do computador é rápida, pelo menos para aplicativos corriqueiros que foram testados, como o pacote Office, Nero, acessar a internet, etc.

Dois pontos positivos em especial me chamaram a atenção, o portátil possui Bluetooth e a placa de rede é padrão 10/100/1000. Existem dezenas de modelos no mercado, que custam mais de R$ 2000,00 e não possuem tais recursos, se limitando a uma obsoleta placa de rede 10/100.

Um ponto contra é o peso do equipamento, cerca de 2,7 Kg. Não é nenhum absurdo, mas existem modelos bem mais leves que isso.

Concluindo, o notebook Nova HGL31 se mostrou bem estável até o momento e parece ter sido uma boa compra. Um investimento de R$ 1399,00 reais em um notebook completo, enquanto o sub-notebook da Asus, o Eee PC chegou ao nosso país custando o mesmo valor e oferecendo muito menos recursos, valeu a pena.

Vejam o produto clicando aqui





O MySQL agora é da Sun !

22 01 2008
Sun + Mysql

Meu objetivo aqui não é publicar uma notícia, isso os portais e blogs especializados em drops de tecnologia já o fizeram, o que quero passar é um pouco do que pode mudar na ferramenta com essa fusão.

O mercado de bancos de dados é bem abastecido, temos excelentes gerenciadores como Oracle, SQLServer, DB2, todos estes pagos e caríssimos. Existem também as ferramentas gratuitas, como o robusto PostgreeSQL e o leve, prático e veloz MySQL.

Aliás, segundo seu site oficial, o MySQL não é tão gratuito assim. Sua licença de uso é grátis caso o seu projeto esteja de acordo com as licenças GLP ou OSI, caso contrário, o correto seria pagar pelo direito de utilizar o banco de dados e ter acesso ao suporte do produto.

O factóide é que este pequeno banco é imbatível em seu nicho, que são as aplicações simples baseadas em web, que requerem velocidade e agilidade no acesso à dados. Como exemplo basta citar a plataforma WordPress, o mais popular gerenciador de conteúdo entre os blogs do mundo inteiro, entre eles o TechInside e o XBacon.

A Sun tem como sua principal ferramenta a linguagem de programação Java, que disputa pau a pau com Microsoft .NET pela liderança do mercado, e o MySQL integrado as ferramentas de desenvolvimento do Java pode tornar-se uma excelente vantagem competitiva para a empresa.

A MS fornece para os desenvolvedores uma versão gratuita do SQLServer junto com o Visual Studio .NET, porém esta é uma ferramenta limitada, bem mais pesada e com maior consumo de CPU e memória do que o mais novo pupilo da Sun, ou seja, claramente inferior.

Em termos de integração o Java e o MySQL sempre se deram muito bem, posso falar pois tive diversas experiências programando em JSP + Servlets + MySQL e sempre o resultado foi satisfatório, tanto em velocidade quanto em estabilidade dos projetos.

Podemos crer que fusão só venha a melhorar a comunicação entre estas duas excelentes ferramentas, talvez levando o Java a um nível superior e, quem sabe, tornando o MySQL um banco de dados parrudo o suficiente para brigar com os gigantes como Oracle e SQLServer.





Poderia o Google Nos Deixar Mais Burros ?

16 01 2008

GoogleO nosso querido TI ficou um pouco abandonado nas últimas semanas devido aos meus trabalhos no novo XBacon, porém agora está tudo normalizado por lá. Chegou a hora de dar um turbo de posts aqui.

Em nosso artigo sobre a WikiPedia, tivemos um comentário um tanto quanto troll, mas que me inspirou a escrever sobre este tema, que já tenho rascunhado em minha mente algum tempo: As ferramentas de busca online podem nos deixar mais burros?

É bastante complicado escrever sobre isso, apenas peço que leiam com atenção minha argumentação antes de criticarem o texto.

O sistema de ensino em nosso país é extremamente defasado, temos professores despreparados, mal pagos e obsoletos utilizando ferramentas também obsoletas que não conseguem prender a atenção nem gerar interesse no aluno de hoje em dia, acostumado com a interatividade dos computadores e video-games.

Com este desinteresse, é natural que o aluno não busque aprender com as atividades que lhe são passadas e apenas as cumpra com o objetivo de conseguir a nota necessária. Este tipo de aluno sempre existiu e sempre irá existir, porém a porcentagem deles é o que está se tornando crítico.

Quero chegar no fato de que ninguém mais faz trabalhos escolares, seja no ensino médio ou no superior. Nos dias de hoje quando uma atividade é dada a um aluno, tudo o que ele faz é acessar o Google ou a Wikipedia, digitar o tema no campo de busca, copiar os resultados e colar no Word, sem sequer revisar o conteúdo na maioria das vezes.

Esta cultura também está presente no ambiente de trabalho, citando como exemplo os profissionais de TI, onde me enquadro. Quem nunca procurou uma determinada função que precisava fazer em alguma linguagem de programação no Google? Ou então procurar a solução de um determinado problema ao invés de efetuar uma pesada bateria de testes?

Claro que a ferramenta está aí para ser utilizada e economizar nosso tempo cada vez mais escasso. A diferença está em como usá-la. Um bom profissional irá encontrar a resolução de seu problema no buscador e utilizar este resultado para aprender a resolver um problema. Já o mau profissional vai executar a receita de bolo para resolver o problema rapidamente, quando o mesmo reincidir, ele busca de novo.

Ainda existe mais um ponto, se esforçando para descobrir a causa do problema e por consequência sua solução provavelmente seu aprendizado será muito maior, pois o problema pode ser uma fonte para outros erros ocasionais. Erros que você já saberia a causa caso tivesse descoberto “na unha“.

E quando o Google não retorna resultados para sua busca? Este pode ser motivo de desespero para muitas pessoas, que se vêem completamente de mãos atadas quando acontece algo semelhante. Será que é realmente saudável dependermos tanto de uma ferramenta?

A humanidade viveu 2000 anos sem o Google, talvez ele não seja tão essencial quanto aparenta. É uma empresa como qualquer outra, melhor que a maioria é verdade, possui uma posição de destaque no cenário mundial e a probabilidade de um crash repentino na mesma é realmente muito baixa, mas não é nula, nunca é.

Imagine quanta gente estaria falida se o buscador mais famoso do mundo fosse a falência? Por exemplo as empresas especializadas em SEO (Search Engine Optimization), blogs e sites que vivem do AdSense. No caso dos anúncios, poderiam me questionar que existem outros excelentes programas de monetização além do AdSense, o que é verdade, porém, qual a origem dos visitantes que mais dão retorno clicando nos anúncios? Do próprio.

Concluindo tenho a acrescentar que a culpa não é de maneira alguma da ferramenta, mas sim da maneira como a utilizam. Os buscadores e Wikis são excelentes fontes de conhecimento, porém na maioria das vezes ao invés do usuário buscar aprendizado, procura apenas por repostas rápidas, que podem solucionar o problema à curto prazo, mas serão esquecidas em alguns minutos, não agregando conteúdo algum ao indivíduo.





Eu voltarei !

3 01 2008
Terminator

Já faz algum tempo que estou ausente aqui do TI. Algo natural, sendo que o TechInside é um blog sobre trabalho e estive de férias até ontem, portanto, não sobrou muito material nem idéias para publicar.

Utilizei estes dias para dar uma resetada na cabeça, que andava parecendo os blocos de memória do Windows já, a ponto de dar uma tela azul a qualquer momento.

Agora com a entrada de 2008, vem muita tecnologia pela frente para mim. Estarei na equipe que vai desenvolver o novo ERP para empresa onde trabalho, além de apresentar minha monografia, cujo o tema são os Web Standards. Aprenderei muita coisa este ano, estudarei bastante e terei muito material para compartilhar com vocês.

As mudanças no XBacon tem tomado bastante do meu tempo, porém tenho grandes planos aqui para o TI também, este ano vamos tentar crescer e figurar entre os grandes blogs de tecnologia brasileiros, sempre baseados em nossos princípios de conteúdo focado e exclusivo, que até então tem dado certo, mesmo com as poucas atualizações, afinal nosso lema é qualidade acima da quantidade!